Blog

Como utilizar ferramentas de Gestão de Marketing e Vendas

25 de fevereiro de 2019


Alguns empresários e agências adquirem softwares de marketing e vendas na expectativa de melhorar os processos internos e bater as metas estabelecidas. Mas o que mais se vê nas empresas é o despreparo das equipes para aproveitar essas ferramentas em sua totalidade ou mesmo em realizar a integração entre elas.

É aí que começam as dores de cabeça: a falta de comunicação entre Marketing e Vendas, o desperdício de tempo e dinheiro e as informações fragmentadas. Com tanta tecnologia disponível, fica mesmo difícil saber de quais delas realmente precisamos para trazer resultados positivos e tangíveis.

 

Principais softwares no mercado: dicas e hacks para alavancar os negócios da sua agência

Vamos conhecer, primeiro, os melhores softwares de Gestão de Marketing e Vendas para que possa refletir sobre quais se adequam ao seu modelo de negócio — alguns deles são até mesmo gratuitos.

Pode parecer “mais coisa para fazer no dia a dia”, mas acredite: é mais fácil gerenciá-las do que parece, e elas vão te ajudar a cumprir os prazos e as metas estabelecidas para suas equipes.

 

Ferramentas de produtividade para impulsionar a performance da sua equipe

Vamos começar pelo básico, aqueles softwares que você precisa para conquistar um marketing digital digno e uma gestão transparente da sua equipe.

  • Runrun.it: trata-se de um gerenciador de tarefas já utilizado por mais de 100 mil empresas. Ajuda a trabalhar com mais eficiência, priorizando as ações certas.  Acompanhe o tempo investido em tarefas, projetos e processos entregues aos clientes. Você consegue saber as atividades diárias de cada pessoa da sua equipe, bem como o tempo de entrega de cada uma delas. Apesar de ser uma ferramenta paga, vale a pena, principalmente se você tiver colaboradores em home office.
  • Trello: é uma ferramenta simples que ajuda organizar as tarefas e os projetos em único local. É possível dividir as tarefas entre executores individuais e equipes, estabelecendo, também, o processo dos trabalhos. Você consegue acrescentar, ainda, fotos, links, datas e horários para seus prazos. A versão gratuita possui inúmeras funcionalidades. Vale a pena conferir.

Você ainda pode contar com o Asana para gerenciar o trabalho das equipes focando em metas estabelecidas para projetos e tarefas diárias.

Não poderíamos nos esquecer do Google Drive, um serviço de armazenamento em nuvem e sincronização de arquivos do Google: é gratuito e prático; muitas agências já não vivem sem ele.

Por fim, e não menos importante, o Google Tasks veio para você anotar aquelas coisinhas que a gente sempre esquece em uma ferramenta simples de lista de tarefas integrada ao próprio Gmail. Vale a pena conferir.

Falando em Google, você não consegue viver sem ele

Gestão do marketing sem Google não existe. Ela é “só” a segunda empresa mais valiosa do mundo e a principal ferramenta de busca da internet. Sem contar que, no Brasil, as compras online somaram 166,2 bi entre 2016 e 2017, ou seja, não tem como ficar de fora do Google. Você, definitivamente, precisa dele.  

Para seu marketing digital, é primordial conhecer e configurar o Google Analytics e o Google Search Console:

O Google Analytics agrega uma grande quantidade de dados de alta qualidade e bem detalhados para análise de SEO. O usuário desta ferramenta recebe dados importantes a respeito de visitantes, tráfego orgânico, entre outros retornos necessários para a contínua busca por melhoria de desempenho.

O Google Search Console é considerado o complemento do Google Analytics. Apesar de alguns dados serem encontrados nas duas plataformas, os resultados do Search Console são mais simplificados e fáceis de compreender. Basicamente, suas funções são:

  • monitorar precisamente o desempenho do web site nos mecanismos de busca;
  • indicar tráfego orgânico de visitantes e número de vezes que o site foi linkado;
  • apontar claramente problemas de indexação e melhorias a serem implementadas no website.

A gente sabe que precisamos de dados e métricas sobre o comportamento dos usuários na internet para alcançar melhores resultados das campanhas. E as tags servem justamente para rastrear o usuário. Mas nem sempre é tão fácil adicionar essas tags ou mesmo monitorá-las. Normalmente, é a ajuda de um programador é necessária.

Pensando nisso, o Google fez o Tag Manager para facilitar o processos de administrar essas tags. É necessário fazer login com sua conta do Google (fica a dica de ser a mesma que você utiliza para o Google Analytics).

Com o Google Tag Manager, você pode enviar dados de comportamento dos usuários do site para o Analytics e adicionar códigos de remarketing do Facebook e Google Ads.

Analytics e ferramenta de automação devem andar juntos

Uma ferramenta de automação é mesmo fundamental para uma gestão completa de planejamento online. A partir dela, é possível:

  • Atrair mais leads lembrando que é sempre importante utilizar recursos como SafetyMails, E-mail Checker e Data Validation para limpar sua base e validar os e-mails conquistados;
  • Gerenciar seu público;
  • Nutrir as oportunidades e vender com escala.

Para saber o que é e como implementar uma ferramenta de automação em sua empresa, acesse este artigo.

Com ferramentas completas como a SharpSpring, você ainda pode ter em um só lugar relatórios completos das campanhas, inclusive do Google Adwords e das mídias sociais, podendo descobrir quais ações estão gerando mais conversões e leads. Além disso, é possível ter uma visão simples e clara do ROI das campanhas de marketing.

Mas para isso acontecer, a primeira coisa a se fazer é a integração com o Analytics. Isso permite rastrear automaticamente o tráfego de e-mails da SharpSpring no Google Analytics, bem como acompanhar o comportamento do consumidor ao longo do funil.

Os pilares do marketing digital

Ainda fica na dúvida se está implementando as principais estratégias ou mesmo seguindo o caminho certo numa infinidade de possibilidades do ambiente online? Você não está sozinho. Por isso, vamos citar os principais pontos para a gestão do marketing digital.

 

SEO

O SEO nada mais é do que Otimização para Ferramentas de Busca, ou seja, um conjunto de estratégias e técnicas com o objetivo de indexar e posicionar o seu site nos resultados orgânicos dos mecanismos de busca (Google, Yahoo, Bing e outros). As principais são:

  • Tenha todas as páginas voltadas para ao menos uma palavra-chave;
  • Inserir palavras-chave de preferência na introdução, na conclusão e em um intertítulo;
  • Escaneabilidade do texto: destaque algumas palavras em negrito e opte por listas para otimizar a leitura;
  • O <title> da página, os atributos ALT para as imagens e a url da página precisam conter a palavra chave;
  • Utilize técnicas de link building.

Para otimizar seu conteúdo, ajudar na busca das melhores palavras-chave e ainda fortalecer seu SEO, existem ferramentas como a SEM Rush e a WebCeo

Para informações completas, acesse o ebook gratuito SEO para Agências que preparamos para você!

SEM

Ao contrário do que muitos pensam, SEM não é o contrário de SEO. SEM é a sigla de Search Engine Marketing, um campo de conhecimento que tem como objetivo trazer mais visitantes para seu site através de uma maior exposição nos resultados dos buscadores. Isso pode acontecer por campanhas de Links Patrocinados e/ou pelo trabalho de SEO.

O termo se popularizou e se expandiu e, quando falamos de anúncios na internet, o SEM representa:

  • Anúncios do Google;
  • Facebook Ads + Instagram;
  • Anúncios do LinkedIn;
  • Anúncios do Twitter.

Isso mesmo, você pode e deve criar anúncios para essas redes sociais de forma planejada – existem métricas importantes na hora de definir a alocação dos recursos de uma campanha de marketing, conheça aqui. Lembrando que o SEM Rush não só ajuda no trabalho de SEO. Com ele, você pode verificar palavras-chave para seus grupos de anúncio dos Links Patrocinados, por exemplo.

A SharpSpring também possui integração com o Google Ads, permitindo acompanhar palavras-chave, impressões, conversões de leads e vendas esperadas da própria ferramenta. Entenda melhor a importância da automação de marketing para as mídias de performance aqui.

 

Social Media

As redes sociais são poderosas ferramentas de distribuição do seu conteúdo, bem como de relacionamento com seu público. Saiba qual é ideal para seu negócio refletindo sobre seu público-alvo ou personas. As principais são:

  • Facebook;
  • Instagram;
  • Linkedin;
  • Twitter;
  • Pinterest.

 

Layout Digno

Eu sinto dizer, mas de nada vai adiantar sua campanha se você não tiver um layout digno, atendendo aos mínimos requisitos técnicos. A gente já te explicou como criar peças de alto impacto a partir do e-mail marketing, e você também pode contar com a ferramenta para criar landing pages com alto padrão de conversão em templates disponíveis.

 

Tenha sempre em mãos imagens de alta qualidade e programas que facilitem sua vida, como o Canva, onde você consegue criar designs gratuitos de forma prática. Ele usa um formato de arrastar e soltar e fornece acesso a mais de um milhão de fotografias, gráficos e fontes.

A gente também fez um artigo com BR.Freepik e outros bancos de imagem para sua agência usar (e salvar na barra de favoritos).

O Smarketing: por que sem ele não adianta ter qualquer ferramenta

Parece radical, mas é a mais pura verdade. A integração entre Marketing e Vendas e, também, entre ferramentas de gestão e marketing pode trazer mais inteligência para suas campanhas, evitando, até mesmo, desperdício de leads, tempo e dinheiro.

O processo de qualificação de leads explica sobre isso:

  • Suspect: converteu em um formulário e você tem poucas informações sobre ele;
  • Prospect: quando demonstra apenas intenção de compra, mas você ainda não sabe se ele a efetuará de fato;
  • Qualificado: apresenta intenção e o perfil de compra do seu consumidor. Demonstrou interesse pelo seu produto, poder aquisitivo para fechar negócios e um histórico favorável à compra;
  • Leads Qualificados de Marketing (Marketing Qualified Leads – MQLs): demonstram-se extremamente envolvidos e estão a poucos passos de realizar a compra;
  • Leads Qualificados de Vendas (Sales Qualified Leads – SQLs): MQLs que já estão aptos a virar uma oportunidade, ou seja, estão prontos para a venda e uma abordagem por parte do vendedor.

Dessa maneira, nada melhor do que uma ferramenta com um dashboard compartilhado e transparente, em que fiquem evidentes os recursos de passagem dos leads para o pipeline de vendas, como o que a SharpSpring disponibiliza.

As chances do seu faturamento aumentar com um smarketing preciso, em que existe acesso mútuo a informações e alinhamento entre essas equipes é substantivamente maior. Com isso, você terá em mãos relatórios completos e métricas reais para planejar e implementar melhorias no seu negócio e dos seus clientes   saiba aqui como fazer um relatório de gestão em agência de marketing.

 

Quer ficar por dentro das novidades do nosso blog? Assine nossa newsletter.